Cavalcante Consultores – treinamento e consultoria em finanças e Excel

Todo Empresário (e diretoria) Deveria Monitorar o RTA

Artigo da série One Page - Elaborado por Francisco Calvalcante

O que é RTA? É a abreviação de Retorno Total do Acionista. É um indicador calculado para medir o desempenho da empresa sobre a perspectiva do acionista.

O acionista espera dois tipos de remuneração sobre seu capital empregado no negócio:

  • Dividendos em dinheiro
  • Valorização da ação


  • O acionista da empresa com ações negociadas em Bolsa de Valores “cobra” estes dois retornos aguardando ansiosamente pelo recebimento de dividendos e, de tempos em tempos, dando uma espiada no jornal para verificar o preço de negociação da sua ação.

    Não há nenhuma razão para o acionista de uma empresa de capital fechado não se comportar da mesma maneira.

    Mesmo sendo fundador e diretor da empresa, ele deveria se despir destes papéis, fazer uma pausa e se posicionar apenas como investidor.

    Todo investidor deveria calcular o RTA. Porém, como fazer isso se sua empresa não tem ações negociadas em Bolsa de Valores?

    Sugestão: contrate um assessor financeiro externo para elaborar um valuation.

    Por que uma pessoa de fora? Para que o valuation não seja influenciado pela emoção e pelos vícios de quem está trabalhando dia a dia dentro do negócio.

    Como calcular o RTA? Veja o exemplo a seguir:

    Valuation da empresa em 30 de junho de 2012: (R$1.000.000)

    Dividendo recebido em 02 de fevereiro de 2013: R$50.000

    Valuation da empresa em 30 de junho de 2013: R$1.150.000

    RTA no período (1 ano): 20%

    Como interpretar o RTA de 20% no ano?

    No período acima, o acionista da empresa obteve um retorno consolidado por dividendo mais a valorização de 20%.

    Como concluir se o RTA de 20% no ano é bom?

    Compare com o retorno mínimo definido pelo acionista. Na literatura, isso se chama custo do capital do acionista.

    Se o acionista definiu um retorno mínimo de 15% ao ano, significa que o retorno efetivo (RTA) de 20% superou as expectativas em 5%.

    Sabe como se chama este excedente de retorno de 5% no ano? Valor criado para o acionista.

    Em resumo: há criação de valor para o acionista sempre que o retorno efetivo por dividendo mais ganho de capital (RTA) exceder o retorno mínimo definido pelo acionista.

    O inverso é destruição de valor para o acionista: quando o RTA é menor do que o retorno mínimo desejado pelo acionista.

    O quadro acima permite deduzir que podemos monitorar o RTA ano a ano, observando se ocorre sistematicamente criação ou destruição de valor para o acionista.

    RTAs sistematicamente acima do retorno mínimo definido pelos acionistas motivam novos investimentos. Ir em frente. É o círculo virtuoso.

    RTAs sistematicamente abaixo do retorno mínimo definido pelos acionistas desmotivam novos investimentos. Ao longo prazo, perde-se eficiência.

    Afinal, qual acionista ou diretoria não gostaria de calcular e monitorar o RTA da sua empresa ano a ano? Somente dirão “não” acionistas e diretores que não atribuem valor ao seu capital ou trabalho empregado. Acreditamos que seja a minoria.

    Confira mais aplicações e exemplos sobre RTA no eBook Perguntas Frequentes sobre Análise Econômica de Empresas

    Confira todos os artigos elaborados por Francisco e pelos consultores parceiros da Cavalcante

    Para falar a respeito de consultoria, entre em contato diretamente com Francisco Cavalcante através do email francisco@fcavalcante.com.br ou do telefone (11)3524-9222.